DÚVIDAS

DÚVIDAS FREQUENTES

A SUIPA responde aqui as dúvidas mais frequentes enviadas pelos internautas.

 

Tudo sobre doenças de animais

O QUE É TOXOPLASMOSE?

Ocorre numa grande variedade de animais de produção e de estimação, incluindo aves, bovinos, ovinos, suinos, caprinos, gatos, cães, animais silvestres e a maioria dos vertebrados terrestres. Considerando que boa parte dos profissionais da área de saúde ainda possui muitas dúvidas a respeito das modalidades de infecção humana, do perigo potencial desse parasita nos vários segmentos da população em risco e do verdadeiro papel do gato doméstico na transmissão da doença, não é de se surpreender que a população, de maneira geral, esteja mal informada a respeito do problema. Muitos médicos veterinários ainda fazem recomendações quanto aos animais de estimação baseados, muitas vezes, em preconceitos e desinformação. O "Toxoplasma Gondii" é um protozoário que infecta a grande maioria dos animais de sangue quente, inclusive o homem. Embora seja um parasita com pouca especificidade quanto ao hospedeiro, ou seja, infecta várias espécies e, somente nos felinos domésticos e selvagens ele completa seu ciclo.
Devido ao gato (doméstico e selvagem) ser o único animal a eliminar em suas fezes a forma para a infecção do toxoplasma (os oocistos), ele é considerado o grande vilão; porém, provavelmente, menos de 1% da população felina, num determinado momento, deve estar eliminando os oocistos.

Caso um felino (doméstico ou selvagem) esteja eliminando em suas fezes os oocistos, ele o fará apenas uma vez em sua vida. Os oocistos eliminados pelos gatos (domésticos ou selvagem), no exato momento da defecação, não são capazes de promover a infecção. Eles devem permanecer no ambiente, sob certas condições, por pelo menos cinco dias para que se torne viável a causar infecção. Dessa forma, a infecção humana, por contato direto com gatos eliminando os oocistos é extremamente improvável, pois as fezes devem permanecer no ambiente para que os oocistos se tornem infectantes. O contato com fezes frescas não é capaz de causar infecção. Os gatos, em geral, não apresentam diárreia durante o período de excreção de oocistos. Os gatos geralmente enterram as fezes após a defecação. Devido aos hábitos de limpeza, fezes não são encontradas na pelagem dos gatos e, por isso, a possibilidade de transmissão para seres humanos pelo ato de tocar ou acariciar um gato é mínima ou inexistente. Mordeduras ou arranhões também são improváveis meios de transmissão da toxoplasmose.

Vários estudos têm demonstrado que a fonte de infecção da toxoplasmose mais comum nos países industrializados parece ser o contato e o consumo de carnes cruas ou mal cozidas contendo cistos do toxoplasma. A carne suína é considerada a maior fonte de infecção para seres humanos. A infecção pela carne pode dar-se não somente pelo consumo, mas também pela manipulação da carne crua, contato com surperfícies de preparação de alimentos, facas e outros utensílios. O risco de se adquirir a toxoplasmose pelo leite de vaca é considerado mínimo.

Diversos estudos têm demonstrado também que possuir um gato como animal de estimação ou trabalhar com gatos não aumenta a chance de contrair a toxoplasmose. Pessoas consideradas como tendo risco de adquirir a infecção (pessoas com imunidade baixa como por exemplo: pessoas em tratamento de câncer e de AIDS) devem tentar evitar o contato com cistos teciduais e oocistos, mediante uma série de medidas simples e muitas vezes ignoradas, quando se leva em consideração apenas a presença de gatos na casa.

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal,
ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."

Albert Schweitzer (Nobel da Paz de 1952)
topo