SUIPA ADOÇÃO
Adote um focinho carente
Local do focinho carente

Datas do nosso “Adote um Focinho Carente” em Fevereiro:

Dia 04/02 na Glória, em frente à antiga sede da TV manchete - 9:30 às 15:00hs

Dia 11/02 em Ipanema, na Loja Pet Fun- na rua Vinicius de Moraes nº 111 - 9:30 às 15:00hs

Dia 25/02 em Copacabana, na pet Shop Bicho Bacana - na Rua Paula Freitas nº 61 A - 9:30 às 15:00hs

Vamos ajudar a SUIPA

Adote um Focinho Carente é um programa permanente realizado pela SUIPA, em sua sede.

Segunda a Sexta - 8:00 às 13:00 
Sábado - 8:00hs às 11:00hs
Setor de adoção: Tel: (21) 3297-8775  Whatsapp: (21) 98458-6653

À pessoa interessada em adotar, fará uma entrevista, responderá um questionário e deverá levar cópias do CPF, da carteira de identidade e de um comprovante de residência atualizado. Se desejar adotar um felino, deverá ter tela nas janelas de seu apartamento para que se previna acidentes com os novos membros da família.

Abaixo temos alguns dos suipanos que estão aptos para adoção e nossos suipanos que precisam de atenção especial estão sinalizados com um coração azul.

ADOTAR SIGNIFICA SER RESPONSÁVEL POR AQUELE NOVO MEMBRO NA FAMÍLIA.

Escolha abaixo seu parceiro ou sua parceira para a vida toda.





Cebolinha
Macho - Adulto
Médio porte

Caio
Macho - Adolescente
Médio porte

Dentinho
Macho - Adulto
Médio porte

Rebeca
Fêmea - Adulto
Médio porte

Xico
Macho - Adolescente
Médio porte

Lindinha
Fêmea - Adulto
Médio porte

Pirata
Macho - Adulto
Médio porte

Lord
Macho - Adulto
Médio porte

Damares
Fêmea - Adolescente
Médio porte

Soraia
Fêmea - Adulto
Médio porte

Rialto
Macho - Adulto
Médio porte

Lava Jato
Macho - Adulto
Médio porte

Odilon
Macho - Adulto
Médio porte

Dona Camila
Fêmea - Idoso
Médio porte

Tigre
Macho - Adolescente
Médio porte

Playboy
Macho - Adulto
Médio porte

Morete
Macho - Filhote
Médio porte

Maria Clara
Fêmea - Adulto
Médio porte

Bebel
Fêmea - Adulto
Médio porte

Marina
Fêmea - Adolescente
Médio porte
Página 2 de 6 <<Anterior Próxima >> Pág:
"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal,
ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."

Albert Schweitzer (Nobel da Paz de 1952)
topo