SUIPA ADOÇÃO
ADOTE UM FOCINHO CARENTE

É um programa permanente realizado pela SUIPA, todos os dias em sua sede entre 9hs e 15hs, de segunda a sábado e, domingos e feriados, até meio dia

Na maioria dos sábados, entre 08 e 14 horas, a barraca da SUIPA fica em uma pracinha arborizada, no bairro do Flamengo, em frente à antiga TV Manchete, com poucos animais adultos e sem raça definida, para serem adotados.
Certifique-se dos dias naquele local, na página principal deste site.

Próximo dia:

Sábado dia 13 de Fevereiro


Adotar é um gesto de amor

Do latim adoptare, a palavra adotar significa tomar ou receber como filho. Por isso, durante a entrevista para se adotar na SUIPA, as pessoas interessadas devem ter ciência de que os critérios são rigorosos.
 
A SUIPA quer um NOVO LAR para seres inocentes que foram, um dia, maltratados, escravizados e abandonados e que aguardam por verdadeiros humanos, que possam lhes dar AMOR, CUIDADOS PERMANENTES e SEGURANÇA, para que não retornem às ruas.

Durante a entrevista, o representante da SUIPA faz vários questionamentos à pessoa interessada em adotar, além de solicitar o preenchimento de um questionário e cópias do CPF, da carteira de identidade e de um comprovante de residência atualizado. Após a avaliação ser concluída, o adotante deverá assinar um termo onde concorda em receber, em sua residência, a visita de um dos representantes da SUIPA, para que possa acompanhar o período de adaptação do novo hóspede na familia.

Devido à distância para se fazer o acompanhamento da adaptação, a SUIPA dá preferência às moradores da Cidade do Rio de Janeiro. Entretanto, mesmo os moradores de outros municípios serão orientados pela SUIPA a adotar nas proteções animais mais próximas a seus bairros, facilitando o contato entre adotantes e protetores e dando mais oportunidade para outros animais poderem conseguir NOVOS LARES.

Se desejar adotar um felino, deverá ter tela nas janelas de seu apartamento e, no dia da entrevista, a SUIPA solicita que leve foto mesmo em seu celular, para a comprovação, já que é a SEGURANÇA para que se previna acidentes com os novos membros da família.

A SUIPA não aceita que animais sejam adotados para se tornarem: "presentes" para terceiros, "distração" para menores de idade ou "vigias" de quintais, sítios ou empresas.


ADOTAR SIGNIFICA SER RESPONSÁVEL POR AQUELE NOVO MEMBRO NA FAMILIA.
GALERIA DE ADOÇÃO SUIPA ADOÇÃO
Listar somente    
JOÃO BRASIL

Filhote, brincalhão e medroso, cerca de oito meses de idade, porte médio. Precisa de uma familia para ser mais feliz ainda!

RICARDINHA DE ALBUQUERQUE

Abandonada, cerca de 2 anos de idade, medrosa.

Adotantes interessados em adotar quando estiver saudável, a SUIPA solicita que se cadastrem.

CARVÃOZINHO

Vira-lata com cerca de 2 anos de idade, em tratamento, por ter sido atropelado.


Adotantes que estiverem interessados, a SUIPA solicita que se cadastrem.

ATLETA DO CACHAMBI

Vira-lata trazido pelos bombeiros por ter sido atropelado. Porte médio.

Adotantes que estiverem interessados, a SUIPA solicita que se cadastrem.

MARI POPPINS

Poodle, idosa, cega dos dois olhos, porte pequeno, em tratamento. Precisa de uma familia.

Adotantes que estiverem interessados, a SUIPA solicita que se cadastrem.

IGOR DO PECHINCHA

Chegou atropelado. Está em tratamento, mas precisa de um lar assim que estiver saudável. Cerca de 3 anos de idade, porte médio, tranquilo, sem raça definida.

Adotantes que estiverem interessados, a SUIPA solicita que se cadastrem.

BOB DA VILA DO JOÃO

Abandonado porque o dono ía se mudar.

Em tratamento. Adotantes interessados em adotar quando estiver saudável, a SUIPA solicita que se cadastrem.

XANDI BOMBEIRO

Chegou abandonado, encontrado doente na rua.

Está em tratamento. Adotantes interessados em adotar quando estiver saudável, a SUIPA solicita que se cadastrem.

LILI DO RIO

1525 - Cerca de 2 anos de idade, meiga e carente.

SOFT

1518 - Cerca de 2 anos de idade, irmão de SOPHIE !

       
      + Orfãos: 1 2 3 4 5
"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal,
ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."

Albert Schweitzer (Nobel da Paz de 1952)
topo